"Roussel inventou máquinas de linguagem que, decerto, não têm outro segredo, afora o procedimento, além da visível e profunda relação que toda linguagem mantém, desata e retoma com a morte."

Michel Foucault, Raymond Roussel.